Roberto Gonçalves

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"

Textos

Terapia Filosófica – O que é isso ? 

"O consultório filosófico é uma prática que procura, através da atividade reflexiva, ajudar as pessoas nos seus problemas do dia a dia. A maioria de nós buscca harmonia, equilibrio emocional, bem estar físico e mental. A vontade de viver uma vida sem tropeços está no íntimo de cada ser humano. O diálogo com o filósofo clínico pode ser uma preciosa ajuda busca desse equilíbrio, desse viver com inteligência emoocional e saber como superar os problemas do cotidiano. O consultório filosófico consiste numa ferramenta a mais, uma nova alternativa às terapias convencionais. É uma terapia de curta duração focada na vivência da pessoa que leva em conta não só sua história de vida e sua singularidade, mas também o contexto onde vive. Tem uma metodologia própria, algo distante das psicologias ou psicanálise, que traz uma solução rápida e eficaz para o problema em pauta.

O filósofo clínico pode trazer a quem desejar os pilares para o desenvolvimento de seu autoconhecimento, e poontos de apoio que permite a cada um de nós passar pelas adversidades da vida com mais tranquilidade e abertura de espírio.

O terapeuta cuida de pessoas portadoras de transtornos afetivos, como depressão e a ansiedade, por exemplo, problemas de relacionamento pessoal e interpessoal que surgem no trabalho ou convivio social, questões relacionadas a relacionamento familiar e adolescentes com problemas de comportamento e aprendizado escolar entre outros. Se você está com dificuldade em tomar decisões o filósofo clínico o ajudará a fazer um discernimento hábil.

A Filosofia Clínica hoje é uma opção àqueles que desejam mais qualidade de vida pessoal e social. Mas não é só. Mostra também como un novo campo de atuação para os que escolheram fazer curso de Filosofia em sua graduação e não desejam ser professores ou seguir carreira acadêmica. Hoje, no Brasil, assim como na Europa e Estados Unidos o filósofo pode também clinicar".

Marta Clauss Magalhães é doutora em Filosofia pelo Instituto Packter de Porto Alegre - RS, filósofa clínica e professora e diretora do IMFIC – Instituto Mineiro de Filosofia Clínica. Autora, entre outros, dos livros Versos num mundo Reverso e Filosofia Clínicca: percepções e aprendizagem. Atua como terapeuta há dez anos e docente de Filosofia e de Filosofia Clínica.

COMO DEVE COLABORAR A FILOSOFIA PARA HUMANIZAR A CIVILIZAÇÃO DE HOJE, EVIDENCIANDO O VALOR DA PESSOA HUMANA E CONTRIBUINDO PARA A PAZ INTERIOR E FELICIDADE DO HOMEM?

                                          FILÓSOFO

1 - Qual é a missão do ensino e do estudo da filosofia em relação à vida cultural brasileira hodierna, ou quais são os problemas vitais brasileiros, da atualidade, que aguarda uma contribuição da reflexão filosófica?


1.1. - Missão do ensino da Filosofia em relação à vida cultural brasileira:

1.1.1. - Criar condições para que o brasileiro pense logicamente com ordem e unidade, análise e síntese, construção e redução.

1.1.2.-Criar condições para que o brasileiro pense epistemologicamene a cultura como saber na esfera específica do objeto, método e estrutura das múltiplas e diversas ciências humanas.

1.1.3  - Criar condições para que o brasileiro pense ontologicamente a cultura como criação especificamente humana do ser histórico do homem, como universo de significações, sentidos e valores pelos quais o homem compreende, transforma e significa o mundo, como mediação dialógica da comunicação das consciências, no tempo.

1.1.4.- Criar condições para que o brasileiro pense eticamente o significado radical do existir livre da pessoa na visão científico-tecnológica do mundo hodierno.

1.2. - Quais são os problemas vitais brasileiros, da atualidade, que aguardam uma constribuição da reflexão filosófica?

1.2.1. - a compreensão, transformação e significação consciente, livre e responsável das estruturas da realidade brasileira.

1.2.1. - Na dimensão cultural: a compressão, transformação e significação consciente, livre e responsável das estruturas da realidade brasileira.

1.2.2. - Na dimennsão social: a formação e técnica dos quadros profissionais.

1.2.3. - Na dimensão política: a integração das massas no Estado pela participação da cultura, comunicação nacional e distribuição racional da riquesa.

1.2.4. - Na dimensão econômica: o planejamento econômico fruto do rigor lógico de pesquisa e de imaginação criadora a partir das reais possibilidades dos recursos humanos e materiais.

1.2.5. - Na dimensão jurífica: o modelo normativo nacional que corresponda às exigências psico-sociais do homem brasileiro, à força viva de sua tradição histórica e à sua inserção vigorosa no ritmo da visão científico-tecnológica do mundo atual.

1.2.6.- Na dimensão ética: a consciência da significação da liberdadse responsável na convivência interpessoal à luz não apenas do bem estar mas do bem comum que inclui a transcende a simples prosperidade material, no plano da justiça social, da unidadse nacional e da participação ativa e criadora na solução dos problemas nacionais.

2 - Que métodos deve seguir hoje o ensino e o estudo da filosofia, no plano universitário? E no primeiro e segundo graus?

2.1 - Que métodos deve seguir hoje o ensino e o estudo da filosofia, no plano universitário?

2.1.1. - O método dialogal: a partir da assimilação objetiva, reflexão crítica e recriação pessoal dos temas, problemas, soluções e objeções às soluções hisóricas aos problemas do pensamento filosófico. Importa ensinar o aluno de filosofia a estudar ativa e dinâmicamene a repensar pessoalmene com objetividade e clareza o pensameno dos outros. Importa criar condições para que o aluno exerça em aula o ato de pensar e de se expressar com clareza e objetividade. Importa criar condições para que o aluno de filosofia perceba realmente – vitalmente o sentido para si do problema filosófico em estudo.

2.1.2. - O método fenomenológico: tanto o professor quanto o aluno devem em aula analisar descritivamente os elementos de um fenômeno, exercer o ato fenomenológico concentrando a sua atenção sobre a intencionalidade específica sobre o seu ato de pensar, de querer, de desejar, de amar, de sentir, de criar buscando sempre a evidência objetiva, o sentido real das realidades.

2.1.3. - O método dialético: descobrir as oposições dos elementos de um fenômeno ou das posições entre pensamentos e tentar integrar em uma síntese articulada tais elementos e posições na medida em que são evidenciados como aparentes oposições possíveis de reconciliação na unidade e não juxtapô-los em uma aparente síntese ou justaposição eclética.

2.2. - E no primeiro e segundo graus?

2.2.1. - Criar condições para que o aluno perceba o valor do ato de pensar filosoficamene através da reflexão crítica.

2.2.2. - Criar condições para que o aluno descubra problemas realmene filosóficos (universalidade objetiva e necessidade real) no seu processo de aprendizagem de ciências, artes, linguagem, convivência, cultura.

2.2.3. - Na análise de trabalhos revelar a coerência interna do pensamento objetivado do aluno bem como a significação humana do pensamento objetivado em textos.

2.2.4. - Pelo método dialogal e maiêutico, criar condições para que o aluno perceba o valor do ato de pensar desinteressadamente na busca da verdade e não apenas de conhecer filosofias.

3 - Quais são as principais correntes filosóficas que hoje atingem as grandes massas populares e a juventude em larga escala?

3.1. - A rigor somente uma pesquisa sociológica poderia revelar o objeto da pergunta. Entretanto, penso que na sociedade de consumo pela comunicação de massas, predomina ainda o Pragmatismo sob diversas formas.

3.2. - A juventude universitária em larga escala tem sido atingida mais por perpectivas ideológicas do que por correntes filosóficas, uma vez que o estudo da Filosofia como tal não tem sido operado na medida do desejável.

3.3. - Entretanto, percebo o interesse da juventude de forma implicita e até mesmo explicita pela Filosofia Oriental (indu), pelas correntes neo-marxissistas, neo-positivistas bem como pela Filosofia da Linguagem e pela Filosofia Existencial.

4 - Quais são os dados do progresso, das ciências experimentais e matemáticas imprescindíveis à reflexão filosófica?

4.1. - Entendo que a reflexão filosófica não depende única e necessarimente dos dados do progresso, das ciências experimentais e matemáticas. A Filosofia das Ciências bem como a Filosofia da Natureza devem manter uma íntima correlação com os dados das ciências. A Ciência revela uma estrutura hipotético-construtiva ao passo que a Filosofia possui uma estrutura reflexivo-crítica como fenomenologia e ontologia da experiência humana total. Sendo assim a reflexão filosófica inclui como objeto a experiência histórico cultural do progresso bem como a experiência científica experimental e matemática. Mas a reflexão filosófica não se reduz à mera reflexão crítica sobre os dados do progresso e das ciências experimentais e matemáticas.


4.2. - Como dados atuais fornecidos à reflexão filosófica pelo progresso e pelas ciências experimentais e matemáticas reconhecemos a Cibernética, os dados parapsicológicos, a Teoria da Relatividade de Einstein sob o aspecto físico e sob o aspecto matemático.

4.3. - Como tema fundamental para a reflexão filosófica atual entendo que todo o processo histórico-cultural científico contemporâneo de natureza técnico operacional coloca para a reflexão filosófica o problema fundamental ético da significação radical do existir livre do homem na busca de sua realização e felicidade histórica. Vale dizer, a ciência e a técnica pelo domíno da natureza coloca para o homem o problema do sentido radical da compreensão e transformação intencional do mundo ou seja o problema do sentido da História.

5 - Poderia existir ( e em que sentido) uma filosofia nacional brasileira?

5.1. - A vocação da Filosofia é universalizante, por natureza. Mas, a universallzação da reflexão filosófica não exclui mas assume o sentido efetivo da presença, da palavra e do trabalho do homem no mundo em relação com os outros no contexto histórico-social-cultural. Porisso entendo que é possível através de uma reflexão filosófica de caráter inicial fenomenológico por em evidência com o auxílio de outras pesquisas das ciências humanas o modo de pensar, sentir e agir do homem brasileiro, o universo básico de seus valores, signficações e sentidos.

5.2. - A Cordialidade, o espírito de reconciliação e o pacificismo que parecem ser características do homem brasileiro podem ser surpreedidos filosoficamente tendo em vista a dimensão humana da reciprocidade das consciências, de uma Filosofia da Pessoa e do Amor.

5.3. - Se a realidade brasileira revela a situação dinâmica de uma comunidade humana em processo de desenvolvimento econômico-social, importa analisar filosoficamente qual o sentido radical deste processo para a realização histórica do homem brasileiro em um contexto de independência e dependência da nação brasileira de outras nações.
   Creio que os problemas fundamentais do homem brasileiro são problemas básicos do homem da visão científico-tecnológico do mundo contemporâneo. Importa descobrir e analisar a forma destes problemas para a consciência nacional bem como a significação das respostas já dadas a estes problemas bem como abrir-se a um processo inventivo criador de pesquisa sobre a nova civilização humana que está em via de acesso de se revelar como forma nova do homem de se descobrir no tempo.
   A Reflexão Filosófica pode prestar ao empenho nacional de construção de uma nova realidade cultural brasileira a seu modo de ser reflexivo crítico na análise e dialético sintético na unificação de sentido dos esquemas de compreensão e transformação intencional do mundo brasileiro aberto ao mundo humano.

                                  Roberto Gonçalves


 

RG
Enviado por RG em 23/10/2013
Alterado em 25/07/2014


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras