Roberto Gonçalves

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"

Textos


As Bem-Aventuranças do Ancião

Bem-aventurados aqueles que compreendem os meus passos vacilantes e o tremor das minhas mãos.

Bem-aventurados aqueles que percebem o esforço do meus ouvidos para captar suas palavras.

Bem-aventurados aqueles que distinguem os meus olhos as lentas reações.

Bem-aventurados aqueles que fingem não ver o café que derramei na mesa.

Bem-aventurados aqueles aqueles que me alegram com o seu sorriso e me deixam falar de coisas sem importância.

Bem-aventurados aqueles que nunca replicam: "Já me contou isto tantas vezes".

Bem-aventurados aqueles que sabem orientar a conversa para as coisas do passado.

Bem-aventurados aqueles que me fazem sentir afeto em vez de abandono.

Bem-aventurados aqueles que compreendem como me esforço para carregar a cruz com paciência.

Bem-aventurados aqueles que amenizam, com sensibilidade e atenções, minha caminhada para o céu.
            Postado por
               Roberto Gonçalves



 
Autor desconhecido
Enviado por RG em 19/11/2013
Alterado em 26/10/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras