Roberto Gonçalves

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"

Textos


Cantar

Cantar de beira de rio;
água que bate na pedra,
pedra que não dá resposta.

Noite que vem por acaso,
trazendo nos lábios negros
o sonho de que se gosta.

Pensamento do caminho
pensando o rosto da flor
que pode vir,  ms não vem.

Passam luas — muito longe,
estrelas — muito impossíveis,
nuvens sem nada, também.

Cantar de beira de rio;
o mundo coube nos olhos,
todo cheio, mas vazio.

A água subiu pelo campo,
mas o campo era tão triste...
Ai!
Cantar de beira de rio.

Cecília Meireles

 
Cecília Meireles
Enviado por RG em 29/05/2014
Alterado em 29/05/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras