Roberto Gonçalves

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"

Textos



Socialismo Utópico
 
Socialismo Utópico, é o nome dado a um grupo de teóricos - para os quais o maior interêsse residia no fato de conseguir uma justiça social, deixando para outro plano secundário o descobrir leis econômicas ou lançar bases para uma prosperidade nacional. 
O nome de "utópico", foi dado com intuito pejorativo por Karl Marx.
Os representantes dessa teoria, apresentaram programas idealistas de sociedades cooperativistas.
Nestas sociedades, cada um poderia trabalhar em tarefas apropriadas com suas condições físicas e intelectuais, e compartilhariam os resultados dos seus esforços comuns.
Grande parte dos socialistas utópicos era herdeira do Ilusionismo. Da mesma maneira que os iluministas, consideravam que tanto o crime como a cobiça são o resultado de se viver em um mau ambiente.
Haveria paz, harmonia, se os homens conseguissem se libertar de hábitos viciosos e de uma estrutura social que facilita exploração do homem pelo homem, a escravização do fraco pelo forte.
Os socialistas utópicos recomendavam que fossem fundadas comunidades-modêlo, capazes o máximo possível, de se nutrirem à si mesmas. Os instrumentos de produção seriam da propriedade de todos. O governo seria organizado sobre uma base voluntária.
Charles Fourier foi um dos que mais propagaram este tipo de sociedade. Porém, temos em Robert Ouvan, o mais realista e sensato.
Nasceu no País de Gales, foi artífice-aprendiz, co-proprietário e gerente de fábrica de tecidos em New Lanark, Escócia. 
Construiu nesta cidade novas casas para seus operários, diminuiu o horário de trabalho, instalou escolas gratuitas para os filhos dos trabalhadores. Foi criador das primeiras escolas para crianças de pouca idade, jardim de infância.
A forte depressão causada pelas guerras napoleônicas, o convenceu de que a economia de seu país necessitava de uma reforma urgente. Concluiu que era o sistema de lucro a causa de todas as perturbações. 
"A opressão violenta daquela época, cedeu lugar a corrupção, e a espada, principal alavanca do poder social, foi substituída pelo dinheiro".
A classe proletária era mais ou menos identica, devido aos abusos que sofria, às condições insalubres em que trabalhava, a dos escravos da antiguidade.
Particularmente as crianças e as mulheres eram vergonhosamente exploradas pelas fábricas, tendo um rigoroso e praticamente insustentável horário de trabalho.
Era o lucro a qualquer preço que pressionava a classe burguesa a agir dessa forma desumana. Daí provinham a super produção, as crises periódicas, o desemprego. Para solucionar isto tudo, Robert Ouven desejava organizar a sociedade em comunidades cooperativas, sendo a recompensa de cada um remunerações aos horários de trabalho
Tentou instalar comunidades deste tipo na Escócia e na América do Norte, porém houve um total fracasso de suas aspirações. Conseguiu que fosse votada, em 1819, a primeira lei que limitou o trabalho das crianças e das mulheres nas fábricas. 
Saint-Simon, apezar de provir da burguesia, considerava progressista, concebeu que deveriam governar a sociedade e a política, as classes produtoras - o grande industrial, o operário, o pequeno burguês, e assim por diante. A nobreza e o clero são parasitas, a isto foi chamado socialismo. Deveriam ser construídos dois canais, o de Suez e Panamá. Isto facilitaria de tal modo o comércio que enriqueceria todas as nações. 
Para Fourier, deveriam ser construidos edifícios imensos, fantásticos, onde morariam todas as classes: médicos, agricultores, etc. E o produto do trabalho dos que morassem em cada falanstério, seria dividido e consumido entre seus membros. 
Proudhon, escritor de "Propriedade privada e roubo", achava que toda propriedade é produto da exploração do homem pelo homem. Mas volta atrás declarando que a propriedade que é fruto de trabalho, não é roubo. Há uma pequena disputa entre ele e Karl Marx, em vista desse declarar a verdade que toda a propriedade é fruto de trabalho. Pode ser honesto ou não, mas não deixa de ser trabalho. 
Escreve Proudhon: "A Filosofia da Miséria - uma especulação filosófica em torno da miséria. E Marx responde com "A miséria da Filosofia".
O socialismo pretende a transformação da sociedade - sufrágio universal, proteção à família da classe proletária, legislação em favor do proletariado, mantendo-se a estrutura social. O homem deve ganhar de acordo com sua capacidade.
          
Socialismo Científico
 
Karl Marx dedicou-se à filosofia e `sa história; seus pontos de vista críticos o impediram de se tornar professor universitário, dedicou-se então ao jornalismo, dirigindo e colaborando em vários periódicos. 
Não são todos os ensinamentos de Marx, originais. Foi influenciado por Hegel e Louis Blanc. Foi entretanto Marx o primeiro a organizar as ideias absorvidas, formando um vasto sistema, e a dar-lhes o seu pleno significado como explicação dos fatos econômicos.
Amigo íntimo de Friedrich Engels, publicou com este o "Manifesto Comunista", em 1848, o primeiro grito do socialismo moderno que nascia. Bem mais tarde, publicou o primeiro volume de uma grande obra de economia política, "O Capital". 
Entre as principais premissas da doutrinas marxista, podem ser citadas:
a) A interpretação econômica da história - todos os grandes movimentos políticos, sociais e intelectuais da história, têm sido determinados pelo ambiente econômico em que surgiram. Não é apenas economicamente que todas as revoluções se formam, mas há sempre uma base econômica. A Revolução Protestante fou na essência, um movimento econômico. 
b) O materialismo dialético - cada sistema econômico particular, baseado em padrões definidos de produção e troca, cresce até alcançar um ponto de máxima eficiência, após o que começam a desenvolver-se contradições e fraquezas internas que trazem consigo uma rápida decadência. Ao mesmo tempo, vão se estabelecendo pouco a pouco os fundamentos de um sistema oposto, o qual acaba por substituir o antigo enquanto lhe absorve os elementos mais valiosos. Tal processo dinâmico de evolução histórica prosseguirá por meio de uma série de vitórias da nova ordem sobre a antiga, até que seja atingida a meta perfeita do comunismo.
c) A luta de classes - toda a história é feita de luta entre as classes
d) A doutrina da mais-valia. Toda riqueza é criada pelo trabalhador. O capital nada cria, ele próprio é criado pelo trabalho. O valor de todas as coisas é determinado pelo trabalho gasto para produzí-las. O trabalhador não recebe o valor total que seu trabalho cria; recebe um salário suficiente para que ele e sua raça subsista. A diferença entre o valor que o trabalhador produz e o que ele recebe, é a mais-valia que vai parar nas mãos do capitalista.
e) A teirua da evolução socialista - o socialismo é mera transição para comunismo. A fase socialista tem três características: a ditatura do proletariado; a remuneração de acordo com o trabalho realizado; a posse e a administração, pelo estado, de todos os meios de produção, distribuição e troca.
Temos então que o socialismo, se parece imensamente com o comunismo, sendo uma etapa para ele. Porém, o socialísmo utópico é mais uma desordenação de ideias, e o científico são essas ideias organizadas, aplicadas primordialmente a economia.

 
Roberto Gonçalves
Escritor
 

        

   

 
RG
Enviado por RG em 01/05/2015
Alterado em 09/07/2016
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras